Alimentação pode ajudar no tratamento contra o câncer de próstata

Pesquisas recentes mostram que a associação da alimentação com o tratamento contra o câncer pode contribuir com a melhora da doença e diminuir a chance de mortalidade.

Outro ponto importante é privilegiar alimentos de rápida digestão e evitar alimentos que dificultam este processo, principalmente a carne vermelha.

Outra dica é dar preferência aos alimentos funcionais, que além do conhecido valor nutricional, podem trazer outros benefícios.
Um exemplo é o gengibre.

A seguir, destacamos alguns alimentos que podem ajudar na busca por uma dieta equilibrada que fortalece o organismo para a luta contra o câncer.

Amêndoas, castanhas e nozes
O consumo regular de amêndoas, castanhas e nozes é capaz de diminuir o risco de morte em 57% dos pacientes com câncer de cólon e reto. Esta é a conclusão de um estudo desenvolvido pelo Centro de Câncer de Yale, nos Estados Unidos, publicado em abril no Journal of Clinical Oncology.

Os pesquisadores analisaram os hábitos alimentarem de 826 pacientes com câncer de colo de estágio 3 durante três anos e perceberam que o consumo regular destas oleaginosas diminuiu não só a taxa de mortalidade, mas também a reincidência do câncer.

A importância da fibra

Em uma pesquisa sobre alimentação com fibras, feita com 16 mil pessoas por um período máximo de 40 anos. Os resultados mostram que a dieta tem influência direta na taxa de mortalidade por câncer. Oncologista explica que as fibras ajudam, principalmente, pacientes com câncer de intestino, porque ajudam o órgão a funcionar melhor, aumentando o número de evacuações e criando uma espécie de proteção que diminui a exposição à resíduos.

“Antes de se manifestar, o câncer costuma já estar com a pessoa de forma silenciosa. Mesmo quando se manifesta, evolui alguns anos sem que os sintomas sejam percebidos. Nesse início, os hábitos saudáveis colocam o paciente um passo à frente da doença, isso tudo ajuda no tratamento”, explica o médico.

A gordura boa do peixe
Está aí outro alimento que pode ajudar pacientes em tratamento contra o câncer – o peixe também foi considerado um protetor para a morte pela doença pelos pesquisadores suíços. Quem comeu mais peixe morreu menos por causa da doença.

Mas nem pense em comer peixe frito! O ideal é assar ou fazer no vapor.

Isso por causa de duas substâncias, astaxantina e o ômega 3, encontradas em algumas espécies de peixe.

A astaxantina é um antioxidante capaz de potencializar outros antioxidantes e que tem capacidade anti-inflamatória. Pode ser encontrada em peixes avermelhados, como o salmão e a truta, e em frutos do mar, como o camarão.

Os ácidos graxos chamados de ômega 3 ajudam a reduzir o colesterol e são associados à diminuição de risco de alguns tipos de câncer, principalmente mama e próstata. Ele é encontrado, principalmente no salmão e no atum.

Fonte: noticias.r7.com